We have limited Portuguese content available. View Portuguese content.

Press release

Estudo da Bain mostra que 85% dos executivos acreditam que a disrupção digital vai manter ou aumentar seu ritmo acelerado nos próximos cinco anos

Estudo da Bain mostra que 85% dos executivos acreditam que a disrupção digital vai manter ou aumentar seu ritmo acelerado nos próximos cinco anos

De acordo com levantamento da consultoria, 70% afirmam que já estão passando por uma disrupção digital significativa, mas menos de 20% dos entrevistados avaliam que suas empresas cumpriram suas metas de transformação digital

  • dezembro 08, 2022
  • min read

Press release

Estudo da Bain mostra que 85% dos executivos acreditam que a disrupção digital vai manter ou aumentar seu ritmo acelerado nos próximos cinco anos

Brasil, dezembro de 2022 - Em sua quinta edição de benchmarking sobre transformação digital corporativa, a Bain & Company reuniu dados de 1.400 líderes de negócios em 13 países, nos principais setores da economia. A pesquisa mostra que, mesmo com a queda nas ações de companhias de tecnologia, a disrupção digital que se desenha para os próximos anos é brutal e, para se adaptar ao mercado, todos os executivos terão de acompanhar de perto essas inovações.

Após a corrida por soluções digitais que surgiu com a pandemia, era esperada uma estabilidade nos investimentos em digitalização das empresas. No entanto, a chegada da segunda onda de tecnologia parece ter ampliado as perspectivas do setor. Essa nova onda de disrupção inclui modelos de negócios digitais habilitados por tecnologias emergentes, como inteligência artificial com deep learning, metaverso, Web3, robótica avançada e dispositivos conectados com o suporte de edge computing e redes 5G.

Entre as empresas que participaram da pesquisa, 70% afirmam que já estão passando por uma disrupção digital significativa e 85% acreditam que essa disrupção manterá seu ritmo acelerado nos próximos cinco anos.

Para entender o mercado de forma geral, a Bain definiu quatro estágios de desenvolvimento tecnológico para classificar o nível de transformação das empresas: adotantes tardios;  transformadores em estágio inicial; caçadores digitais; e disruptores digitais. 

De acordo com André Bolonhini, sócio da Bain, o estudo indica que os disruptores não entram no jogo só para ganhar: eles chegam para mudar as regras. “Dentro desse perfil, 90% das empresas ampliaram sua lucratividade e 80% ganharam market share, aproveitando ao máximo as oportunidades de seu mercado. Além disso, 90% dos disruptores têm metas e processos claros para mensurar, rastrear e indicar o impacto do digital no ESG, uma vez que a sua visão de negócio considera essas práticas fundamentais para a transformação digital”, explica.

Para chegar mais perto desses líderes, a Bain apresenta seis desafios que serão essenciais para as companhias se destacarem diante de seus concorrentes e atenderem às necessidades do público consumidor.

  • Compromisso com a transformação. Mais de 80% dos transformadores em estágio inicial disseram que o compromisso com a mudança ainda não havia se disseminado na companhia. É preciso reforçar objetivos e responsabilidades para evitar uma fragmentação gradual dos esforços digitais.
  • Reformulação da arquitetura de tecnologia. Mesmo com bons resultados a partir de operações feitas às pressas para atender às demandas da pandemia, não se vai muito longe sem acelerar o investimento em tecnologia corporativa modular e flexível. Repensar a arquitetura tecnológica e ampliar a modernização do negócio devem ser medidas constantes.
  • Aceleração com uso de dados. Globalmente, serão gastos em 2022 cerca de US$ 253 bilhões em soluções de big data e análise de negócios, o que tem ampliado vertiginosamente a quantidade de dados coletados e a sofisticação dos algoritmos de processamento. Para colher os frutos desse investimento e acelerar mudanças, o uso de inteligência artificial e machine learning são elementos-chave..
  • Popularização do agile. Mais de 80% dos disruptores têm um modelo operacional multifuncional que suporta colaboração ágil, mas, para escalar essa transformação digital, é importante que o agile e outras novas formas de trabalho se estendam além do departamento de TI.
  • Explosão de inovação. Com a inflação acelerada e a quebra na cadeia de suprimentos, muitas empresas estão lutando para manter o espírito inovador que surgiu com a pandemia. É hora de incutir uma nova mentalidade de adoção ao digital e permitir uma mudança de cultura em todas as áreas das companhias.
  • Atração de talentos. Os disruptores têm mostrado uma grande vantagem em atrair e reter talentos. No entanto, todas empresas devem investir mais em treinamento e buscar internamente os “sonhadores digitais”, que aceleram a inovação.

Transformação digital versus turbulência geopolítica

Nem toda disrupção é impulsionada pela tecnologia digital, é claro. A turbulência geopolítica e econômica tem crescido, bem como a emergência climática e a pressão por iniciativas de ESG. Nesse ambiente incerto, as ferramentas implantadas durante os programas de transformação digital podem ser uma fonte de resiliência mais ampla, defendendo também as empresas contra ameaças físicas.

No atual cenário, é vital que as companhias mantenham o foco constante na transformação digital. Apesar de ser prioridade para 97% dos executivos, menos de 20% deles acreditam que sua organização atingiu mais de 80% de suas metas em transformação digital. Por isso, de acordo com o relatório, com essa nova onda de evolução tecnológica que está apenas começando a exercer seu poder disruptivo, não é hora de nenhuma empresa relaxar.

Sobre a Bain & Company

Somos uma consultoria global que auxilia empresas e organizações a promover mudanças que definam o futuro dos negócios. Com 64 escritórios em 39 países, trabalhamos em conjunto com nossos clientes como um único time, com o propósito compartilhado de obter resultados extraordinários, superar a concorrência e redefinir indústrias. Em 2022, a Bain completou 25 anos de atuação na América do Sul, trabalhando fortemente em conjunto com as maiores companhias líderes de seus segmentos. Complementamos nosso conhecimento especializado integrado e personalizado com um ecossistema de inovação digital a fim de entregar os melhores resultados, com maior rapidez e durabilidade.

Com o compromisso de investir mais de US$ 1 bilhão em serviços pro bono em dez anos, usamos nosso talento, conhecimento especializado e percepção em prol de organizações que enfrentam atualmente os desafios urgentes relacionados ao desenvolvimento socioeconômico, meio ambiente, equidade racial e justiça social. 

Desde nossa fundação em 1973, medimos nosso sucesso pelo de nossos clientes e temos o orgulho de manter o mais alto nível de satisfação em nossa indústria. Saiba mais em www.bain.com.br e em nosso LinkedIn Bain & Company Brasil

Vector℠ is a service mark of Bain & Company, Inc.